Mensagens

A mostrar mensagens de Maio, 2015

Tem o Eric Roberts e uma atriz porno

Imagem
The Human Centipede tornou-se daqueles clássicos botecos, obrigatórios em noites pegajosas de cerveja, e outros desvios. Como a deep web , neste caso a deep filmes de merda sem grande jeito. Porém o primeiro e o segundo mantinham uma certa - certo que não muita mas estava lá - tensão e aflição. A tentativa de uma possível fuga, psicopata jeitoso asqueroso. Este terceiro deita a aura centopeia por terra, ao tentar celebrar e amplificar, confundindo o horror com o over e bad acting. Chega a ser insuportável tal gritaria, sem nada que flua ou exista sem o descabido propósito do nojo. Acaba a gritar, claro, na certeza evidente que o Tom Six morreu no Three .

Escolaridade obrigatória

Imagem
Calma que já lá estou, já lá estou .

O desamor

Imagem
Enorme banhada. Ainda por cima armei-me em certinho, betinho, estúpido, idiota, aluguei. Como se carregar na merda de um botão fosse alugar, mas pronto: Rio, Eu Te Amo . Tenho de ter as minhas mitologias em dia, e a saga Cidades do Amor é uma delas. Das muitas. Então, depois do fracasso amoroso nova-iorquino, conseguiram ainda piorar mais o desgosto. Como se os cacos não fossem já fragmentos de uma enorme derrota. Desconexo, mal interpretado, e acima de tudo vazio dos espaços. Querem-se celebrações da cidade enquanto organismo vivo e não notas de autor de um local anónimo. Gostei da curta do Meirelles , pela gracinha. O resto esqueçam e sigam, Shanghai a seguir. 

Cinema Animal - Cão

Imagem
Blogosfera, três ilustres, um animal, poucas regras. Ah, esqueci-me, cinema, em força, do jeito que cada um bem quer e respira. Hoje foi o cão. Vamos ver que dentadas daqui saíram. Nuno Reis Antestreia Quando este convite/desafio que muito agradeço me surgiu, queria algo marcante. Podia ter ido para “Cães Danados” ou ter brincado com as palavras e ir rever “Dogma”. Não adiantava pensar em filmes com cães que eram todos demasiado fofos. Queria algo sobre o lado animal do homem, mas que fosse selvagem e cru. Portanto, algo que não fosse sobre cães domesticados. A sorte de ter um cão no título foi pretexto para voltar a falar sobre um dos meus “filmes favoritos que não vejo vezes suficientes”: “Alpha Dog”, um filme sobre as matilhas que se formam entre os jovens que, tal como cães vadios, são deixados ao abandono, sem rumo, por progenitores que trabalham para lhes darem o melhor que o dinheiro pode comprar, esquecendo-se de estar lá para falar e ouvir quando eles mais precisam. O cão

O Falcão Ataca e é Novo

Imagem
É caso para moderar a tusa. Nem salvar nem destruir. Acrescentar, no seu sítio, à sua hora. A provocação e a criatividade, são, obviamente, enormes pontos a favor. Há ali muita ideia, muito fabrico delicioso, complementado por aquele que é possivelmente dos melhores cameos que já vi em vida. Do outro lado, temos apenas uma espécie de Austin Powers Tuga, que se revolve nos tiques e gritos - chega a saturar - utilizando o sumo do universo em detrimento do sumo da história. É capitão sim senhor. Se há tesão para ser meu, isso já são outros cinco tostões.

A máquina não parou

Imagem
Costumo escrever o texto, depois o título. Hoje foi ao contrário, talvez pela evidência clara da fotografia. Ontem reencontrei a máquina, que durante anos a fio me ofereceu filmes. Foi nela que vi o drácula, o mãos de tesoura, esta loura mata-me, o titanic, o olha quem fala ou o corte de cabelo. Foi nela que  fugi de prisões, travei as minhas guerras. Lá me ia endireitando, num auditório minúsculo, projectado num lençol enquanto a fita corria. Vi um star wars, o último grande herói, o quinto elemento, foda-se, a máquina sou eu, a minha vida de cinema, no cinema, para o cinema. Ali resumida num conjunto de peças metálicas que circulam em canais, até à luz. Com os meus. E vê-la é um encolher de ombros, um sorriso, um desabafo, um desentender entendido da saudade: a máquina não parou.

Exposição Posters Caseiros já em exibição!

Imagem
A exposição Posters Caseiros , do Edgar , chegou ontem à vila morena. Um serão formidável, descontraído e cheio de surpresas! Que, para além da comunicação da ciência, dos esforços e vontades, do cinema português e da arte, mostrou a blogosfera, a respirar e creditar o seu valor, o cinema de cada um para todos, na partilha inestimável de quem ama. Aquela história da alma e coração, aqui em estado selvagem. Apareçam, até ao dia 20 de junho na Biblioteca Municipal de Grândola.

E sai mais uma musa para o panteão

Imagem
Não é o íntimo glaciar de Under the Skin . Temos mais créditos do real, mais vidas no vai e volta. Porém continuamos na fotografia do além, como um sereno e quente sossego, enquanto agarramos a pele e nos desconstruímos. Que filme mais bonito, caraças. Possivelmente das coisinhas mais atraentes, certeiras e mágicas que iremos ver este ano. Apetece repetir a dança - já histórica - do Isaac .

de Armas

Imagem
Assim é fácil brincar ao trocadilho . Já pareço a A Bola, quando inspirada. Certo é que esta marota vai fazer grandes maldades ao John Wick , que agora é pai de família mas aprecia uma boa rambóia. É o segundo trailer de truz truz.

Alguém tem de manter o nível

Imagem
Tonterias, a torto e a direito. Claro que sim, a palermice de acumular o máximo de situações inacreditáveis. Certo é que estamos lá para mais uma volta, porque a malta diverte-se e só existe para nos divertir também. Gozo e ganho mútuo, bem feito, acelerado, mas, no final do dia, com requinte inocente que diferencia. Ah e claro, se não for esta saga a assegurar a cota de boas mamas e bons cus que temos direito quem é? O Bond Sénior? A Missão Possível? Ganhem juízo.

E no final, a princesa

Imagem
Gostei tanto que me vejo engasgado na obrigação pateta do aviso. Como se eu me preocupasse. Mas pronto, lindo menino, se não viste e não queres adquirir conhecimento em demasia, esta pequena reflexão não é para ti. Se viste, vem daí. Cena da igreja? Claro, a par com aquela sauna do Jonh Wick , é possivelmente das agressões mais estimulantes dos últimos valentes anos. Que reduto este Matthew Vaughn , ainda a fazer o que gosta e a mostrar que consegue. No final não é o herói a ir ao cu à princesa, é ele mesmo a ir ao cu ao sistema. Muito muito bom.

Tem dores?

Imagem
Meio adoentado, com umas cenas. Meio internado, já inteiro do lado de cá. Só pensava como tinha adormecido algures no filme da enfermeira 3D. Como?

Este post é um bocado sério

Até que ponto, faz sentido, sequer pensar, na alteração/censura de um filme devido ao que se passa do lado de cá? San Andreas irá manter a sua data de estreia mas repensar o marketing, devido ao sismo no Nepal. Já Wild Tales foi dilacerado nos media, com exposição integral da sua primeira curta, graças ao acidente da Germanwings. Existirá algum tipo de dever por parte das indústrias criativas? Ou será apenas a eterna guerra da hipocrisia?

Até sempre

Imagem
Não te podia deixar ir embora sem antes, também eu, te escrever em qualquer sítio. Sem flores, nem carolices, apenas um tirar de chapéu. Justified era a série que seguia há mais tempo, sem acasos nem imprevistos. Sempre deliciado com os apetrechados diálogos, a tensão inigualável e aqueles dois. Foda-se. Como deixar ir uma parelha tão definida e construída, vivida na sua própria indefinição e construção. Cliques, ou alinhamentos, de quando tudo está certo. Telefone em baixo mas certos porque viemos. Obrigado malta.

Vanessa

Imagem

The Courtyard of the Ballads II

Imagem
O Nuno Markl vai adorar. O Luís Miguel Oliveira vai detestar. Mas bocejos à parte, continua a ser perturbador a incapacidade de um dito cinema comercial não conseguir construir a merda de um trailer. Já nem pedimos um filme, só o trailer. Devem existir tutoriais para tal façanha, ou mesmo que não existam deve existir alguém amigo que depois diga não. É desconexo, é incongruente, é mau. O que só piora a catástrofe.

8 anos

Imagem
Chupa. Este ano, até um dia antes. Minucioso, que nem velho chinês. Deu para recordar o primeiro mês e tudo. Maio de 2007 . Engraçado agora ver, como tentei encher os dias: estou lá eu do início ao fim, um legado em 25, novo e sem os brancos. Willow , Lost , Namorada Aluga-se , Truman Show , Mulheres do Sul . Um cubo do melhor que a minha memória guarda, logo assim na primeira jornada. Muitas vezes voltei a estes sítios, nos tempos que passaram, provavelmente sem nunca saber que os tinha dado de bandeja. Oito anos depois e este meu mapa continua a surpreender. A funcionar como contínuo refúgio de uma identidade. Sem agenda nem hora, à procura apenas de mais um suspiro, mesmo antes do refrão. E por falar em cantigas: sou finalmente avô ou não?