segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Super desinteressante

Antes de mais acho lamentável a TVI não ter passado um único anúncio de telefonemas eróticos durante os 700 intervalos que assistimos. Lembraram-se de passar publicidade a filmes e dvd's, mas isto cabe na cabeça de quem?

Em relação aos comentadores, continuo sem perceber como é que com tanto tempo de preparação ainda há tempo para se enrolarem e se trocarem. É uma vez no ano, não é pedir muito que a lição esteja bem estudada.

Passando à cerimónia em si, se não foi a pior que já assisti, anda mesmo muito lá perto. Franco e Hathaway ofereceram uma prestação estranha e desequilibrada, onde a contenção risonha dele era compensada pelo constante overacting dela. Sem timing, sem piada, sem estofo. Nem a sequência inicial - a fazer lembrar os bons velhos tempos do Billy Crystal - salvou os dois anfitriões. Depois veio Kirk Douglas, que rapidamente passou de engraçado a bizarro. E a seguir? A seguir a Melissa Leo disse um palavrão, cantaram-se umas canções, check, check, check, adormeci um bocadinho e mais check, check, check, o que se estava à espera. Discursos sem emoção, repetitivos até à sétima casa, com excepção para Charles Ferguson, de Inside Job, que ofereceu a única frase interessante da noite. Outro pormenor perturbador, referido aqui por Vasco Câmara, foi o facto de as dez películas nomeadas a Melhor Filme terem sido apresentadas ao som de O Discurso do Rei.

O que mais me surpreende (e assusta) no meio de tudo isto é o facto de a indústria mais poderosa do entretenimento não conseguir, durante umas meras três horinhas, entreter.
O rei ganhou. E meu amigos: ele vai completamente nu.

5 comentários:

Sarah disse...

É que não poderia concordar mais contigo! Digo até mais, foi horrível de enfadonho que foi.

No entanto, acho que o Discurso do Rei mereceu o Óscar de melhor filme.

Miguel Ferreira disse...

Não teve mesmo a mínima noção de espectáculo. E é absolutamente incrível, como é que uma indústria que tem todos os meios do mundo, não consegue criar conteúdos originais e estimulantes que nos divirtam durante uma noite.

Eu estava a torcer mais pelo Cisne Negro, e depois A Rede Social. O Discurso do Rei não me encheu as medidas.

Miguel Reis (Knoxville) disse...

Na mouche. Podia ter sido eu a escrever este resumo. Vou usar até uma expressão tua para o título do meu. Um abraço.

Miguel Ferreira disse...

=)Abraço!

nuno disse...

http://www.elpais.com/articulo/gente/tv/beso/vio/Oscar/elpepugen/20110302elpepuage_6/Tes