terça-feira, 13 de novembro de 2007

Começar com chave de ouro

As séries evoluíram. E com elas os genéricos iniciais. Mais rápidos (não excedem os 30 segundos, lembro-me quando eram músicas inteiras de 2 minutos ou mais e que víamos todos os dias a mesma coisa), mais eficazes (rapidamente vemos o nome da série e percebemos onde estamos) e visualmente muitos mais apurados (surgem ideias realmente incríveis e verdadeiras obras de arte, como o nosso amigo Dexter). Um exemplo disto é uma introdução da nova temporada, de seu nome Journeyman. Ainda não tem luz verde para uma temporada inteira, mas tem bons actores, uma história bastante interessante (viagens no tempo são a minha perdição) e esta carta de apresentação :


2 comentários:

Knoxville disse...

Curto e Grosso, como se costuma dizer. Tenho aqui alguns episódios já, e vou ver se esta semana dou uma olhadela na série. Estes conceitos "Quantum Leap" fascinam-me ;)

Um abraço!

M.Ferreira disse...

Oh boy as saudades que eu tenho do Quantum Leap e dos tempos de juventude em que o via!Aqui o conceito é bastante semelhante!Fico a espera então da tua opinião;)
Um abraço