quinta-feira, 31 de maio de 2007

Os filmes que têm lume

Hoje é o Dia Mundial sem Tabaco e filmes sem ele, tabaco, há muitos, quase todos. Por isso trago comigo alguns onde o cigarro é parte da narrativa e todo um elemento essencial para o produto final. Não não é o Thank you for smoking, não não é o Coffee and Cigarettes (ainda não pude ver nenhum dos dois), o que aqui vem hoje são apenas memórias de presenças sublimes mas fumarentas:


Instinto Fatal : Michael Douglas diz que deixou de fumar, até sucumbir à tentação e voltar ao prazer, do fumo misturado com o da carne. Sharon Stone não pode fumar na sala de interrogatório, acende o cigarro à mesma, o resto ficou escrito na história do cinema.

Coração Selvagem : devaneio lynchiano onde a combustão sonora e amplamente visível é usada de forma crua, como corte entre cenas, sempre a queimar, como o amor.



Constantine : Keanu Reeves fuma nesta fábula negra, fuma que nem doido, até ao diabo em pessoa lhe arrancar de forma nada simpática todo o alcatrão que lhe impestava os pulmões.
(de momento não encontro mais na desarrumada memória que por vezes me foge. Quem fumar, quem se lembrar, ou quem se lembrar a fumar, ou apenas a pensar, junte uns nomes à lista)

4 comentários:

João Gaspar disse...

coração selvagem e constatine no mesmo post? vamos lá a ver isso...


a fumar: brad pitt no fight club.

M.Ferreira disse...

apenas ferramentas duma temática,nada mais.Brad Pitt sim senhor.
Vi o Blade Runner, e fuma-se bastante naquela Los Angeles futurista de 2019, realizada em 1982.
Muito fumo,adoro ambientes com fumo

João Gaspar disse...

tá bem, ferramentas de uma mesma temática. mas estavas a pedi-las!

M.Ferreira disse...

Pois estava..Peço desculpa..